Arquivos

Basket Press Shiraz Museum Release

SAFRA: 1997 – Museum Release
REGIÃO: Barossa Valley (Austrália do Sul)
TIPO: Vinho Tinto, 100% Shiraz
ÁLCOOL: 14,5%

HISTÓRICO: Rockford só pode ser descrita como ícone, não importa quão demasiadamente usada tenha sido essa palavra. Apesar da sua relativa juventude (estabelecida em 1984), Rockford é uma celebração dos velhos tempos de Barossa, com os vinhos feitos artesanalmente com equipamentos oriundos da virada do século retrasado. O proprietário e enólogo Robert O’Callaghan começou no ofício em 1965 na vinícola Seppelt, em Rutherglen. O’Callaghan salvou da demolição um complexo histórico de pedra de 1850 na vila de Krondorf, onde ele coleciona apetrechos antigos como trituradores manuais e tanques abertos de fermentação em ardósia que adornam a vinícola, embora a produção do vinho seja um pouco mais moderna. Os vinhos são feitos a partir de vinhas velhas de pouca irrigação, portanto são a pura expressão do terroir e condições da safra. O modelo da garrafa marrom de cintura alta dos anos 40 tornou-se sua marca registrada. A vinícola ganhou 5 estrelas vermelhas no Australian Wine Companion 2015, de James Halliday. Recebeu 96 pontos de Halliday, 93 de Jeremy Oliver e 91 de Robert Parker, além de constar no livro “1001 wines you must try before you die”.

NOTAS DE DEGUSTAÇÃO: Mais do que qualquer outro, Basket Press Shiraz é o rótulo-assinatura. Encorpado, é feito de forma artesanal, com equipamentos da virada do século passado e, em seguida, envelhecido em barricas americana e francesa por dois anos. As videiras tem entre 60 a 140 anos. Possui cor profunda e mostra aromas de chocolate escuro e frutas maduras. O paladar é complexo, com defumado, terroso e especiarias. Os taninos são refinados e o final é persistente. Mostra um poder discreto, equilíbrio e mineralidade que evocam o caráter da fruta e da safra. Basket Press é um estilo que lembra a maturação dos vinhos de Barossa feitos entre 1950 e 1960. No entanto, o seu frescor e flexibilidade refletem a filosofia contemporânea de vinificação.

ENVELHECIMENTO: Com estrutura para envelhecer graciosamente por trinta anos.

Basket Press Shiraz

SAFRA: 2007
REGIÃO: Barossa Valley (Austrália do Sul)
TIPO: Vinho Tinto, 100% Shiraz
ÁLCOOL: 14,5%

HISTÓRICO: Rockford só pode ser descrita como ícone, não importa quão demasiadamente usada tenha sido essa palavra. Apesar da sua relativa juventude (estabelecida em 1984), Rockford é uma celebração dos velhos tempos de Barossa, com os vinhos feitos artesanalmente com equipamentos oriundos da virada do século retrasado. O proprietário e enólogo Robert O’Callaghan começou no ofício em 1965 na vinícola Seppelt, em Rutherglen: “Foi um aprendizado maravilhoso no antigo, ordenado, lento e suave comércio do vinho australiano. Os vinhos que bebi, os enólogos das gerações anteriores com quem convivi e tudo o que absorvi naquele período tiveram uma grande influência sobre a forma como Rockford é hoje.” O’Callaghan salvou da demolição um complexo histórico de pedra de 1850 na vila de Krondorf, onde ele coleciona apetrechos antigos como trituradores manuais e tanques abertos de fermentação em ardósia que adornam a vinícola, embora a produção do vinho seja um pouco mais moderna. Os vinhos são feitos a partir de vinhas velhas de pouca irrigação, portanto são a pura expressão do terroir e condições da safra. O modelo da garrafa marrom de cintura alta dos anos 40 tornou-se sua marca registrada. A vinícola ganhou 5 estrelas vermelhas no Australian Wine Companion 2015, de James Halliday. Consta como “Exceptional” na Langton´s List e recebeu 92 pontos de Halliday.

NOTAS DE DEGUSTAÇÃO: Mais do que qualquer outro, Basket Press Shiraz é o rótulo-assinatura. Encorpado, é feito de forma artesanal, com equipamentos da virada do século passado e, em seguida, envelhecido em barricas americana e francesa por dois anos. As videiras tem entre 60 a 140 anos. Possui cor profunda e mostra aromas de chocolate escuro e frutas maduras. O paladar é intenso e muito complexo, com taninos redondos. Mostra um poder discreto, equilíbrio e mineralidade que evocam o caráter da fruta e da safra. Basket Press é um estilo que lembra a maturação dos vinhos de Barossa feitos entre 1950 e 1960. No entanto, o seu frescor e flexibilidade refletem a filosofia contemporânea de vinificação.

ENVELHECIMENTO: Com estrutura para envelhecer graciosamente por vinte anos.

Rifle Range Cabernet
Sauvignon

SAFRA: 2007
REGIÃO: Barossa Valley (Austrália do Sul)
TIPO: Vinho Tinto, 100% Cabernet Sauvignon
ÁLCOOL: 14,5%

HISTÓRICO: Rockford só pode ser descrita como ícone, não importa quão demasiadamente usada tenha sido essa palavra. Apesar da sua relativa juventude (estabelecida em 1984), Rockford é uma celebração dos velhos tempos de Barossa, com os vinhos feitos artesanalmente com equipamentos oriundos da virada do século retrasado. O proprietário e enólogo Robert O’Callaghan começou no ofício em 1965 na vinícola Seppelt, em Rutherglen. Ele salvou de demolição um complexo histórico de pedra de1850 na vila de Krondorf, onde ele coleciona apetrechos antigos como trituradores manuais e tanques abertos de fermentação em ardósia que adornam a vinícola, embora a produção do vinho seja um pouco mais moderna. Os vinhos são feitos a partir de vinhas velhas de pouca irrigação, portanto são a pura expressão do terroir e condições da safra. O modelo da garrafa marrom de cintura alta dos anos 40 tornou-se sua marca registrada. A vinícola ganhou 5 estrelas vermelhas no Australian Wine Companion 2015, de James Halliday, que avaliou em 94 pontos este Cabernet Sauvignon.

NOTAS DE DEGUSTAÇÃO: Embora este varietal mostre as típicas características regionais, também tem a filosofia Rockford estampada nele – um vinho com sabor rico e macio, elaborado a partir de uvas amadurecidas de forma correta, utilizando técnicas de vinificação tradicionais. É envelhecido por dois anos em uma série de barricas de carvalho francês e americano. Assim, os taninos integram-se bem e consolidam-se os sabores, resultando em um vinho voluptuoso, complexo, rico, suave no médio paladar e com belo final terroso.

ENVELHECIMENTO: O vinho pode ser apreciado em sua juventude ou desenvolver-se por mais 10 a 15 anos.

The Reserve Cabernet
Sauvignon Shiraz

SAFRA: 2002
REGIÃO: Barossa Valley e Eden Valley (Austrália do Sul)
TIPO: Vinho tinto, 78% Cabernet Sauvignon e 22% Shiraz
ÁLCOOL: 14,0%

HISTÓRICO: Elaborado apenas em safras especiais (90, 92, 96, 98 e 2001), “The Reserve” representa as melhores vinte barricas de vinho tinto na adega da Yalumba. As uvas são provenientes de vinhedos antigos da região de Eden Valley, com produtividade baixa de cerca de 2 a 5 toneladas por hectare. É uma das poucas e seletas vinícolas do mundo a ter seus próprios funcionários praticando a antiga arte da tanoagem. Cabernet Sauvignon and Shiraz da região de Barossa foram misturadas para criar um vinho de intensidade extraordinária, rico e harmônico com uma estrutura que possibilita o paciente envelhecimento. É um vinho fermentado com leveduras “selvagens” que contribuem para a complexidade do vinho, oferecendo uma elegante textura. Este vinho recebeu medalha de ouro no Decanter World Wine Awards 2008 e recentemente recebeu 94 pontos de Robert Parker, na Wine Advocate (USA), troféu “Melhor Tinto” – Barossa Show 2008, Troféu “The Demptos Classis Oak for the Best Museum Dry Red” – Barossa Show 2008, além dos 96 pontos de James Halliday, no Australian Wine Companion 2010.

NOTAS DE DEGUSTAÇÃO: Apresenta densa cor vermelho. O olfato é completo com aromas profundos de frutas vermelhas com notas de hortelã e picante cedro. Vigoroso e concentrado, o paladar é intenso e suculento com frutas escuras combinadas com carvalho cremoso, sustentado por agradáveis taninos macios. Este vinho foi maturado por 22 meses em barricas francesas.

ENVELHECIMENTO: Excelente para ser consumido entre 15 a 25 anos.

The Octavius Shiraz

SAFRA: 2004
REGIÃO: Barossa Valley (Austrália do Sul)
TIPO: Vinho Tinto, 100% Shiraz
ÁLCOOL: 14,5%

HISTÓRICO: Geralmente as uvas para “The Octavius” são oriundas tanto das regiões de Eden Valley quanto de Barossa Valley, no entanto, neste ano apenas uvas de Barossa Valley foram utilizadas. O resultado é um vinho com excelente profundidade de cor, riqueza e complexidade. As videiras são todas antigas, sendo a maioria entre 70 e 100 anos. Os rendimentos do vinhedo estão geralmente entre 2 e 5 toneladas por hectare. Depois de boas chuvas, a primavera-verão foi seca como de costume, mas com um inesperado janeiro fresco (reminiscência da safra 2002), que foi perfeito para a vinha amadurecer e manter a copa saudável. Este período fresco levou a arrefecer as uvas na maior parte das regiões, mantendo excelentes níveis naturais de acidez e cores muito profundas e ricas. Fevereiro e março foram bastante secos e amenos com noites frescas e dias quentes – perfeitas condições para o desenvolvimento do sabor de Shiraz. Este vinho recebeu 96 pontos da revista The Wine Advocate, em outubro de 2007, 93 pontos de Ray Jordan, 95 pontos da publicação The Big Red Wine Book 2008 (AUS) por Campbell Mattinson, foi considerado 5 estrelas pela Winestate Magazine, em 2009 e recentemente recebeu 96 pontos de Robert Parker Jr. na Wine Advocate (USA).

NOTAS DE DEGUSTAÇÃO: Um paladar de profundidade e intensidade, com frutas escuras, violetas, aromas florais que ajudam a desvendar a riqueza do vinho. Macio, com taninos refinados que dão equilíbrio e estrutura. Estagiou por 22 meses em carvalho americano, pequenas quantidades de carvalho francês e novas barricas húngaras.

ENVELHECIMENTO: Certamente valerá a pena aguardar por até quinze anos.

The Signature Cabernet
Sauvignon Shiraz

SAFRA: 2008
REGIÃO: Barossa e Eden Valley (Austrália do Sul)
TIPO: Vinho Tinto, 56% Cabernet Sauvignon e 44% Shiraz
ÁLCOOL: 13,5%

HISTÓRICO: Desde seu lançamento inaugural em 1962, mais de 50 “Signatories” tiveram seus nomes estampados no rótulo deste vinho em reconhecimento à contribuição prestada à cultura e à tradição da Yalumba. O blend de Cabernet e Shiraz é intimamente relacionado à Austrália, e o “The Signature” tornou-se referência de estilo. As leveduras “selvagens“, naturalmente presentes na casca da uva e que contribuem para as complexidades individuais do vinho, criando riqueza e texturas finas, iniciaram a fermentação. Depois, leveduras cultivadas foram adicionadas para completar o processo. Recebeu 95 pontos de James Halliday, 94 da revista Wine Enthusiast, 91 do crítico Robert Parker e troféu Blue Gold no Sydney International Wine Competition.

NOTAS DE DEGUSTAÇÃO: Apresenta cor vermelho-escuro com tons roxos. Mostra aromas densos de especiarias doces, chocolate, terroso e alcatrão. No paladar tem uma rica sensação: o corpo da Cabernet Sauvignon e a groselha preta da Shiraz. O acabamento é muito persistente, combinando grande poder com elegância. Final prolongado com refinados taninos. Descansou por 20 meses em carvalho francês, americano e húngaro.

ENVELHECIMENTO: Profundo e intenso – um vinho feito para longevidade, com guarda de quinze anos ou mais.

The Menzies Cabernet
Sauvignon

SAFRA: 2004
REGIÃO: Coonawarra (Austrália do Sul)
TIPO: Vinho tinto, 100% Cabernet Sauvignon
ÁLCOOL: 14,0%

HISTÓRICO: Desde seu lançamento inaugural em 1987, The Menzies continua desenvolvendo-se em estatura e qualidade, tendo hoje este premiado Cabernet Sauvignon que representa elegância e longevidade. Este vinhedo possui vinte hectares situados numa “ilha” com formato de charuto e com solo terra rossa assentado sobre calcáreo poroso endurecido, chamado limestone. As chuvas na primavera de 2004 foram pouco acima da média, todavia permitindo o desenvolvimento saudável dos vinhedos. Em fevereiro voltaram às condições normais de verão, tendo posteriormente um março agradável, com dias quentes e noites frias. Estas condições permitiram às uvas reter os sabores intensos da Cabernet Sauvignon com um equilíbrio natural entre açúcar e acidez. Recebeu 94 pontos de James Halliday no seu Australian Wine Companion 2009, 93 pontos da Australian Gourmet Traveller Wine Magazine, 90 pontos da publicação The Wine Advocate, outros 94 pontos de Gary Walsh na Home of Renowned Tasting (AUS), foi considerado 4½ estrelas pela Winestate Magazine, em 2009 e recentemente recebeu 90 pontos de Robert Parker Jr. Na Wine Advocate (USA)

NOTAS DE DEGUSTAÇÃO: Profunda coloração magenta. Ao olfato é complexo com nuanças de violeta, folhas de louro, azeitona negra e concha de ostras. O paladar apresenta aroma de café e concentradas ameixas. Vinho encorpado com finos taninos, final fresco e equilibrado. Estagiou por 19 meses em carvalho francês e americano. Acompanha todos os sabores de comida e alimentos torrados, além de queijos picantes, dentre outros deliciosos pratos.

ENVELHECIMENTO: Este poderoso vinho envelhecerá bem por pelo menos quinze anos.

Yalumba Hand Picked Barossa
Shiraz Viognier

SAFRA: 2005
REGIÃO: Barossa Valley e Eden Valley (Austrália do Sul)
TIPO: Vinho Tinto, 96% Shiraz e 4% Viognier
ÁLCOOL: 14,5%

HISTÓRICO: A Yalumba possui o maior e mais antigo vinhedo de Viognier do Hemisfério Sul e é bem conhecida pelo seu pioneirismo na Austrália com essa cepa exótica. A adição da Viognier dá uma dimensão extra e fragrância maravilhosa ao bouquet e traz maciez ao rico e poderoso Shiraz da região de Barossa. Este blend é derivado do norte do Rhone, mais especificamente da área de Côte Rôtie. Parcelas selecionadas de Shiraz, advindos de solos diferentes, foram misturadas em pequenos volumes de Viognier originadas de Eden Valley, gerando um vinho elegante, complexo e aromático. Recebeu 94 pontos da publicação Wine Spectator, 93 pontos de Campbell Mattinson no “The Big Red Wine Book 2008” (AUS), outros 94 pontos da WBM “100 Wines Magazine” (AUS) em 2008, outros 90 pontos na The Wine Advocate, outros 92 pontos de James Halliday no seu renomado Australian Wine Companion 2009 e recentemente foi considerado 5 estrelas pela Winestate Magazine, em 2009.

NOTAS DE DEGUSTAÇÃO: Apresenta aromas de cereja, seguidos por especiarias de canela e pimenta preta, além de leves toques florais. O paladar apresenta sabores de café, cedro, chocolate e notas de alcaçuz e frutas escuras. Este é um vinho sedoso que termina com taninos refinados feitos sob medida. Envelhecido por 18 meses em carvalho francês, americano e húngaro, sendo 54% de barricas novas.

ENVELHECIMENTO: Beba agora ou adegue por um período médio de dez anos.

Yalumba Hand Picked TGV

SAFRA: 2006
REGIÃO: Barossa Valley (Austrália do Sul)
TIPO: Tinto, 90% Tempranillo, 5% Grenache e 5% Viognier
ÁLCOOL: 13,5%

HISTÓRICO: A linha Hand Picked prossegue na excitante busca e compromisso com experimentação/exploração de novas variedades e cortes. Plantada fartamente na Espanha, a Tempranillo provou ter uma afinidade em particular com a região de Barossa Valley. A safra de 2006 foi perfeita em Barossa Valley, com início de primavera-verão com chuvas e deixando as vinhas fortes e saudáveis, resultando em excelente colheita. Dias quentes, sem calor excessivo em fevereiro, combinado com noites frescas significou que as vinhas não passaram por nenhum stress, acumulando açúcar e sabores rapidamente. Este vinho obteve 93 pontos de Campbell Mattinson no “The Big Red Wine Book 2008” (AUS), outros 88 pontos na The Wine Advocate, 90 pontos no Australian Gourmet Traveller Wine Magazine, outros 94 pontos de James Halliday no seu renomado Australian Wine Companion 2009 e ganhou 4 estrelas pela Winestate Magazine.

NOTAS DE DEGUSTAÇÃO: Mostra viva cor vermelho-púrpura. Ao nariz oferece aromas de pétalas de rosas e framboesa com especiarias como noz-moscada. O paladar apresenta taninos firmes e sabores prolongados de cereja. Estes sabores são amaciados pela co-fermentação com a uva Viognier, enquanto a Grenache contribui com toques condimentados. Maturado por 10 meses em barris de carvalho francês e húngaro.

ENVELHECIMENTO: Este vinho é degustado elegantemente agora, mas uma cuidadosa adegagem desenvolverá alguns clássicos sabores apetitosos nos próximos dez anos.

FSW8B Brotrytis Viognier

SAFRA: 2012
REGIÃO: Wrattonbully (Austrália do Sul)
TIPO: Vinho branco, 100% Viognier
ÁLCOOL: 10,5%

HISTÓRICO: Wrattonbully parece ser uma região abençoada para a produção deste estilo de vinhos de sobremesa. No calor do verão, a fruta amadurece naturalmente com níveis elevados de açúcar e sabores e aguarda as manhãs orvalhadas e dias ensolarados do outono para iniciar e manter o crescimento do fungo Botrytis cinerea, que metaboliza-se ressecando os bagos, aumentando a concentração de açúcar e contribuindo para o seu sabor único. Várias prensagens das uvas são necessárias para libertar todo o néctar dourado e viscoso. Recebeu 96 pontos de James Halliday, 95 de Huon Hooke, 93 da revista Wine Spectator, além de constar entre os ‘100 Best Australian Wines in 2013’ por Matthew Jukes.

NOTAS DE DEGUSTAÇÃO: Este vinho apresenta cor palha-clara com tonalidade verde-limão. No nariz, é etéreo, com uma nota rica de crème brulée, seguido por aromas atraentes de canela, anis e torta de limão. Persistentes sabores ricos de marmelada, damascos em calda, canela e anis, conduzindo a um final doce e equilibrado. O vinho apresenta uma complexidade levemente picante e excelente equilíbrio entre doçura e viva acidez. Os sabores da Viognier tem maravilhosa sinergia com a riqueza do Botrytis, mostrando os sabores opulentos de damasco, pêssego e especiarias. Exótica, sensual, persiste e elegante, esta é uma experiência a ser compartilhada.

ENVELHECIMENTO: Perfeito para ser consumido agora, mas ainda se beneficiará com mais oito a dez anos de adega.